Blog da Família

Saiba como planejar melhor seu investimento em educação para os filhos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Você sabia que o investimento em educação é prioridade para 79% dos pais no Brasil? Esses são os dados da pesquisa feita pela HSBC, onde os pais também acreditam que as escolas particulares são melhores que as públicas. 

Se investir nos filhos é algo muito importante, então os pais devem saber calcular todos os gastos relacionados à educação, por mais básicos que eles sejam, certo? 

Por isso, criar um planejamento é fundamental. Veja neste post algumas dicas que preparamos para você planejar melhor seu investimento em educação! 

1. Poupe com antecedência

Em primeiro lugar, é bom ter em mente que, para garantir a educação dos filhos, é necessário ter esse cuidado antes que eles comecem sua trajetória escolar. O ideal seria, na verdade, já começar a reservar um valor para a escola antes mesmo deles nascerem.

Mas isso nem sempre é possível. Então, a melhor forma é começar a fazer, o quanto antes, uma reserva para os gastos com a educação, definindo, assim, uma quantia a ser poupada todo mês.

Colocando isso de modo prático, os pais podem decidir poupar um valor que corresponde a uma mensalidade da escola por mês, por exemplo.

Assim, quando a criança atingir a idade de entrar no ensino fundamental, aos 6 anos de idade, os pais já terão uma quantia interessante para investir na educação dos filhos.

Mas vale ressaltar que as reservas mensais não podem parar depois que criança ingressar na escola. Neste caso, será importante refazer as metas, que será o próximo passo a vermos.

Leia também: 7 dicas de economia financeira para oferecer uma melhor educação aos filhos

2. Estipule os gastos e defina as metas

Estipular os gastos com a educação dos filhos é bem simples, basta estimar quantos anos são necessários para eles concluírem a vida escolar. Neste caso, da educação infantil ao ensino médio, são gastos cerca de 17 anos de estudos. 

Mas é importante que os pais levem em conta também outras variáveis, como aulas de idiomas, atividades esportivas, cursos profissionalizantes, entre outras.

Além disso, existem outros gastos diretamente relacionados ao investimento em educação dos filhos. São os materiais didáticos, transporte, alimentação, etc. Isso veremos mais adiante.

Sabendo desses gastos, é importante trabalhar para que eles sejam equilibrados com as despesas da família. Assim, é possível fazer um levantamento da renda familiar e das contas mensais de forma simples. Mas se o orçamento da sua família estiver apertado, é hora organizar seu orçamento familiar.

3. Organize seu orçamento familiar

Infelizmente, não tem como poupar se o seu salário não arca com as despesas atuais. Por isso, é importante organizar melhor suas finanças antes de pensar em investir. E isso pode ser feito de forma bem simples, utilizando uma planilha.

Nela, você vai precisar listar todas as suas despesas e receitas mensais. Feito isso, você saberá se está gastando mais do que ganha. E, neste caso, você tem dois caminhos a seguir: cortar as despesas ou encontrar uma fonte de renda adicional.

Reduzir os custos mensais pode ser o caminho mais rápido. Veja algumas dicas que você pode colocar em prática:

  • Separe suas despesas por categorias, como: alimentação, educação, transporte, cuidados pessoais, saúde, etc. Isso permitirá a você descobrir em quais áreas está gastando mais e em quais pode começar a economizar;
  • Registre todos os gastos, inclusive aquele simples cafezinho com amigos. Você vai se surpreender como que pequenas compras podem fazer muita diferença no orçamento do mês;
  • Localize despesas não essenciais que poderiam ser cortadas ou talvez substituídas por opções mais baratas, como cancelar a assinatura da TV que quase não é utilizada ou começar a praticar exercícios ao ar livre em vez de pagar uma academia cara.

Vale lembrar também, que algumas economias podem e devem ser feitas com os filhos em relação aos gastos com a escola. Afinal, todo esse investimento em educação precisa ser minucioso. Isso também veremos em seguida. 

4. Aplique a regra 50-30-20

Você já ouviu falar na regra 50-30-20? Essa é uma regra referência para orientar o orçamento das pessoas e tais valores significam um limite de gastos mensais para três principais áreas:

50% para gastos fixos e essenciais

São aqueles custos necessários para manter a rotina funcionando. Entre eles estão as despesas com moradia, contas de água, luz, internet, alimentação, a escola dos filhos, transporte e saúde.

Mas alguns gastos são essenciais para algumas pessoas e não para outras. Portanto, para definir o que é essencial para você, reflita melhor sobre sua rotina. 

30% para gastos variáveis

Esse grupo vai reunir as despesas como um plano mais sofisticado de TV a cabo, idas ao cinema e a restaurantes, uma viagem ao exterior nas férias, entre outras.

Ela é a parcela mais pessoal da regra, mas também é fundamental para que as pessoas organizem o orçamento mantendo seus gostos. 

20% para prioridades financeiras

Aqui vão entrar os valores que precisam ser investidos periodicamente para assegurar um bom padrão de vida no futuro. São os recursos que você precisa poupar para colocar projetos de pé e realizar os seus sonhos. São os investimentos para formar uma reserva de emergência, fazer um curso, trocar de carro ou até abrir um negócio próprio.

O grande trabalho com a regra 50-30-20 é apenas saber definir quais gastos do dia a dia serão considerados em cada um desses grupos. Mas também é possível fazer um investimento em educação reduzindo alguns gastos relacionados à própria educação. 

5. Economize na educação

Primeiro, precisamos esclarecer que economizar na educação não significa abrir mão da qualidade, ok? Na verdade, são pequenos cuidados que podem ser tomados para poupar recursos e continuar investindo por mais tempo na educação dos seus filhos. 

Por isso, separamos alguns exemplos para você refletir.

1. Mensalidades e matrículas

Em vez de pagar mensalidades da escola dos seus filhos, você parou para pensar se é possível obter maiores descontos caso pague a anuidade? Isso pode ser considerado se você já estiver poupando há algum tempo.

2. Alimentação escolar

Muitas vezes comprar lanches e arcar com os almoços dos filhos na cantina da escola pode sair bem caro. A dica aqui é variar. Dê a eles, sempre que possível, o alimento já preparado de casa. Além de economizar, isso vai contribuir para uma alimentação muito mais saudável, gerando economia inclusive no campo da saúde.

3. Transporte escolar

Aqui, os pais precisam avaliar a necessidade de contratar o transporte escolar para os seus filhos, que vai depender de muitos fatores, como tempo e a distância até a escola.

A dica que você pode seguir é encontrar outros pais e mães que praticam a carona solidária. Assim, cada dia ou semana um pai ou uma mãe fica responsável por levar e buscar as crianças em segurança.

4. Uniforme escolar

Com relação ao uniforme, em escolas que exigem o uso dele, seria bom que as crianças continuassem utilizando os mesmos do ano anterior, mas somente se estiverem em bom estado. Já se a instituição de ensino não exigir o uso dessas peças, a dica é reservar roupas específicas para as crianças usarem na escola.

5. Material escolar

Esse é um gasto que também pesa muito no bolso dos pais. Por isso, a dica primordial é pesquisar. Vale a pena se juntar a outros pais e comprar esses itens em maior quantidade no atacado, pois eles saem bem mais barato nesse tipo de venda. 

A outra dica é reaproveitar os materiais como canetas, lápis, borracha, estojos, mochilas, lancheiras, etc. Nisso, vale inclusive ensinar os filhos a cuidarem melhor de seus materiais escolares. 

Com relação aos livros didáticos também vale pesquisar e comprar de segunda mão. Afinal, um livro não é produzido para durar 1 ano apenas.

Os pais também podem conversar com os filhos sobre como economizar nas compras dos materiais. Isso faz parte da educação financeira. Dessa forma você irá envolvê-los na economia da sua própria educação, de forma a utilizar os recursos de modo responsável.

Viu só como tudo isso entra na conta dos investimentos em educação? Seguindo essas dicas, você também vai reduzir muitos gastos, e claro, poder continuar oferecendo uma educação de qualidade para os seus filhos!

Esse artigo foi útil? Você conseguiu entender melhor como organizar o investimento em educação para o seu filho? Veja também o nosso artigo sobre como escolher a escola ideal!

Compartilhe esse post
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Sobre o autor