Blog da Família

Saiba como ajudar um filho com depressão com 7 dicas que vão te orientar para tratamento dessa doença

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Saber como ajudar um filho com depressão envolve, primeiramente, verificar quais são os seus sintomas. Muitas vezes, a pessoa que convive com alguém com depressão quer ajudar da melhor forma possível, mas não sabe como, em alguns casos, até acaba piorando a situação com conselhos, como “Você é jovem!”, “Sai dessa.”, “Você precisa se esforçar mais.” etc.

E para provar que a depressão não é um simples “mimimi” como muitos dizem, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é o país com maior número de pessoas depressivas da América Latina, afetando 12% da população brasileira. Ou seja, muita gente sofre dessa doença! 

Por isso, este artigo vai mostrar para você como identificar se seu filho está com depressão, algumas dicas de como ajudá-lo e como a escola também pode te auxiliar neste processo. Confira! 

Como saber se o seu filho está com depressão

Como você já leu acima, o primeiro passo para saber como ajudar um filho com depressão é saber se este é realmente o problema que a criança possui. 

Para isso, é fundamental prestar atenção a uma série de sinais que podem apontar para essa doença, mas vale ressaltar que também é preciso contar com o diagnóstico de um profissional.

Alguns dos sintomas que podem ser apresentados pela criança são: 

  • agitação e ansiedade;
  • baixa autoestima; 
  • cansaço; 
  • choro frequente;
  • condutas orientadas a machucar a si mesmo;
  • desespero;
  • dificuldade de aprendizagem
  • diminuição de si mesmo; 
  • estado de ânimo; 
  • falar ou tentar contra a própria vida;
  • ganho ou perda de peso; 
  • irritação; 
  • isolamento social;
  • mudança de apetite; 
  • dificuldade para se concentrar;
  • perda de interesse ou prazer em realizar atividades; 
  • problemas de conduta ou de disciplina; 
  • queixas físicas; 
  • transtornos do sono. 

Os pais também precisam considerar que tais sintomas podem estar associados a outros problemas ou transtornos vivenciados pelas crianças. 

Desta forma, pode ser difícil delimitar se é somente depressão ou se elas precisam de outro tratamento. 

Mas o que é muito claro, é que tanto o filho quanto os pais precisam de alguma orientação e ajuda para este momento. E é disso que vamos tratar a seguir.  

Como ajudar um filho com depressão

Acima, mostramos a você alguns comportamentos muito comuns da depressão, mas vale reforçar que eles nem sempre podem ser caracterizados dessa forma. Significando que, para se ter certeza da doença, se faz necessário buscar um profissional e realizar exames específicos. 

Por isso, vamos apresentar algumas dicas de como ajudar um filho com depressão.

1. Ouça com atenção e acolha

Ouvir o que a criança tem a dizer é uma das melhores formas de ajudá-la. Mantenha a mesma altura que ela, olhe nos olhos, preste atenção e considere tudo o que ela está dizendo. 

Converse sempre com seu filho para saber sobre seus problemas, suas dificuldades e tristezas. Exerça a empatia e ofereça o seu suporte e acolhimento, sem fazer nenhum julgamento. 

2. Não haja com agressividade

Neste momento, o papel dos pais é compreender e auxiliar o filho com depressão. Dessa forma, não adianta querer forçá-lo a praticar atividades ou se socializar com a ideia de que tudo passe logo. Não é por este caminho que seu filho irá melhorar. O melhor a se fazer é, e sempre será, o diálogo e a compreensão do que está acontecendo.

3. Nunca opte pela automedicação

A automedicação ou a indicação de remédios sem a orientação de um médico é muito perigosa e pode ser muito prejudicial. Isso vale para qualquer sintoma que alguém esteja sentindo e não poderia ser diferente com a depressão. 

4. Procure por um tratamento profissional

A depressão é uma doença muito séria, portanto, é fundamental que ela seja acompanhada por psicólogos e profissionais especializados neste assunto. 

Por isso, procure por eles em sua cidade e conheça seus trabalhos. Muitos oferecem palestras e conversam com os responsáveis, sem nenhum custo, para falar como funcionam os tratamentos. 

Somente com a ajuda correta será possível diagnosticar se seu filho está com depressão e receber os melhores métodos e tratamentos para que ele possa restabelecer uma vida normal.

5. Sugira a prática de esportes

A atividade física é uma grande aliada para ajudar quem está em depressão. Juntando-se a outros métodos de tratamento, ela pode melhorar o humor e qualidade de vida das pessoas. 

Para fazer com que seu filho se exercite, convide-o para dançar, brincar, praticar algum esporte em grupo, participar de alguma aula diferente dos estudos, como música, teatro etc. 

Vale lembrar que, além de fazer um bem enorme para o corpo e a mente, a atividade física é um incentivo para sair de casa e interagir com colegas e outras pessoas. 

6. Não ignore comentários suicidas

Existe um equívoco bastante difundido no Brasil que diz que “Quem vai se matar não avisa, apenas comete o ato.”. Além de ser um comentário errôneo, ele também é muito triste, já que em muitos casos a família já notava alguma mudança de comportamento da pessoa. Por isso, não é correto fazer generalizações.  

Portanto, nunca ignore um comentário que diz respeito ao suicídio. Ao contrário, leve-o muito a sério. Você pode conversar com a criança sobre isso e procurar ajuda profissional o quanto antes. 

7. Reforce que a depressão é uma doença que possui tratamento

A depressão não é algo simples para ser superada sem ajuda, mas é completamente tratável. No início do tratamento, existe o período de adaptação, contudo é importante ajudar e reforçar para o filho que o tratamento funciona. 

Visto essas dicas de como ajudar um filho com depressão, agora vamos mostrar a você como a escola pode colaborar com isso. Acompanhe!

Como a escola pode ajudar seu filho com depressão

Como já se sabe, as crianças passam a maior parte do dia nas escolas, por isso, as instituições também têm um papel acolhedor importantíssimo no que diz respeito à depressão. 

É nela que as crianças adquirem novos saberes, porém muitas vezes isso é ensinado de forma muito técnica, informativa, que deixam de estar próxima dos alunos. 

Dessa maneira, a interação entre família e escola se faz necessária, pois os pais podem saber como a instituição articula o conhecimento com as questões do mundo, se ela desenvolve projetos que falam sobre o assunto para fortalecer tais discussões e dar apoio aos jovens, se cria parcerias com centros de atenção e clínicas psicológicas e se promove a formação de professores para o combate ao bullying, prevenção a conflitos, promoção de atividades de cultura e paz no ambiente escolar.  

Bom, nem sempre é fácil perceber que o filho está com depressão, já que se trata de uma doença silenciosa e com causas bem variadas. E a rotina agitada pode ser um dificultador maior para que os pais não percebam ou notem o problema.

Mas esperamos que este artigo possa ter ajudado você a saber como ajudar um filho com depressão. E se você quer se informar e ajudar seu filho ainda mais, leia nosso artigo e veja quais são os sintomas de depressão na adolescência. 

Compartilhe esse post
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Sobre o autor